Em tribunal Eng. Informático que invadiu e roubou 9milhões de mt nas contas do HCB

Em tribunal um engenheiro informático confirma ter invadido as contas do Hospital Central da Beira e roubado mais de 9 milhões de Meticais. Dos referidos valores, o referido engenheiro informático levantou e dividiu com o seu comparsa 4.800. 000MT.

Estão sentados no banco dos réus, Inácio Costa, um engenheiro informático e Fungai Sixpence, que cedeu as contas das suas empresas de construção civil para que fossem transferidos os valores. Da nota da acusação do Ministério Público, Inácio Costa, com noções básicas no manuseamento do sistema Sistaf, era até a data da sua detenção administrador de segurança do referido sistema no Instituto de Formação Profissional na Cidade da Beira. Em Abril de 2019, Inácio Costa, sem que ninguém se apercebesse, instalou um dispositivo num dos computadores do centro de apoio da Direcção Provincial das Finanças de Sofala, que lhe permitiu captar e gravar senhas de diferentes usuários de perfis do sistema Sistaf.

As transacções bancárias retiradas das contas do Hospital Central da Beira para as contas da empresa de Fungai Sixpence, foram feitas no dia 4 de Dezembro na Direcção Provincial das Finanças de Manica, por Inácio Costa, que se deslocou pessoalmente a cidade de Chimoio para este feito.

Feitas as transferências os 2 arguidos deslocaram-se a cidade da Beira, onde no dia 5 de Dezembro, levantaram por meio de cheques avulsos aproximadamente 4.800.000 mil Meticais.

Inácio Costa afirmou que antes de fazer as transacções financeiras, acessou por 3 vezes as contas do Hospital Central da Beira e viu que havia mais de 45 milhões de Meticais. Respondeu que preferiu fazer as transferências dos valores na Direção Provincial das Finanças de Manica, por ter constatado que era um local mais seguro, onde poderia entrar nas contas do Hospital Central da Beira, sem que ninguém o reconhecesse. Disse que para fazer a transferência dos 9 milhões de Meticais para as contas do seu comparsa, precisou de 40 minutos.

Inácio costa, respondeu que aconselhou o seu comparsa a desistir de levantar os 4.900.000 que estavam numa outra conta bancária, por ter-se apercebido através dos meios de comunicação social que haviam trabalhadores inocentes do hospital central da Beira detidos em conexão com os referidos valores. O tribunal ouviu também Fungai Sixpence e, este respondeu que recebeu 1.600.000, por ter cedido as contas das suas empresas para onde foram transferidos os valores. A terceira secção do Tribunal Judicial da Cidade da Beira marcou a leitura da sentença deste caso para o dia 2 de Outubro.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *