Lar de idosos adopta medidas restritivas para evitar propagação da COVID-19

Lar da terceira idade de Magoanine suspende visitas e cultos religiosos dentro do recinto e reforça medidas de higiene para evitar a propagação do novo Coronavírus.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, os idosos estão dentro do grupo de risco, daí a necessidade do reforço das medidas de prevenção da doença aos lares e centros de acolhimento de idosos.

No lar da terceira idade de Magoanine, no Município de Maputo, onde vivem 27 idosos, as estruturas municipais viram-se obrigados a alterar a rotina e mudar alguns hábitos para evitar a propagação do coronavírus.

“Suspendemos as visitas dos familiares, suspendemos os cultos religiosos que eram feitos por um pastor e algumas pessoas da comunidade aproveitavam participar tivemos que mandar parar e proibimos saídas dos nossos idosos do recinto”, informou Cilda Cossa, diretora municipal adjunta da acção Social no Conselho Municipal de Maputo.

O lar tem cinco pavilhões e nove quartos, mas com a pandemia do novo Coronavírus, a edilidade da capital, gestora do centro, teve que restruturar os dormitórios.

“Em cada quarto dormiam três a quatro pessoas, por causa do Coronavírus tivemos que restruturar, em cada dormitório dormem duas pessoas e aqueles que estão com a saúde debilidade, como tosse, por exemplo, ficam numa casa sozinhos” explicou Cidália Cossa.

Armindo Macucule de 76 anos de idade, vive há três anos neste lar conta que sua residência no distrito municipal katembe foi atingida pelo último vendável, tem filhos e netos mas não sabe nada deles. Mas sabe da existência do COVID-19 e teme que a doença chegue a este lar.

“Essa doença é de morte, temos medo que chegue aqui por isso todos dias fazemos limpeza lavamos as mãos e usamos mascaras” revelou o idoso
O Município de Maputo conseguiu reintegrar alguns dos idosos que vivia neste centro de acolhimento as suas famílias mas a maior foram abandonados à sua sorte.

“Eu vim de Inhambane ainda muito nova para trabalhar em casa duma senhora e trabalhei lá durante anos, até ela nascer 9 filhos. Assim que envelheci trouxeram- me para aqui. E a sua família? Não tenho família. Quantos anos tem? Não sei, nunca tive documentos”, contou Albertina Manhique, idosa do lar da terceira idade de Magoanine.

Para reforçar o estado imunológico dos idosos, o lar viu-se obrigado a reforçar a dieta alimentar deles, bem como a higienização constante do centro. Sem poderem sair e sem poderem juntar-se para celebrar a morte de cristo, nesta sexta-feira santa, sobrou para os idosos, orações de forma quase individual.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *