Maputo cria centro operativo de emergência para travar pandemia

O Conselho Municipal da Cidade de Maputo anunciou esta segunda-feira a criação de um centro operativo de emergência para deter a propagação da pandemia da COVID-19 e apoiar as famílias mais vulneráveis, através de uma cesta básica.

Segundo a vereadora para a Área da Saúde e Acção Social no município de Maputo, Alice de Abreu, afirmou, em declarações à emissora pública Rádio Moçambique, que o referido centro terá uma composição multissectorial e vai actuar em seis eixos, visando travar o novo Coronavírus, escreve a Lusa.

Os referidos eixos são “diagnóstico e vigilância, gestão de caso, mobilização comunitária e comunicação, gestão de recursos e logística, água, saneamento e higiene, bem como mobilidade e prevenção são vetores sobre os quais a referida entidade vai incidir o seu trabalho”, acrescentou Alice de Abreu, acrescenta órgão a que “O País” se refere.

“O centro é a única plataforma que nos vai permitir juntar sinergias contra a pandemia no município de Maputo”, enfatizou Abreu.
Ainda no âmbito da mitigação do impacto da COVID-19 na capital do país, o governo da cidade de Maputo vai distribuir uma cesta básica e um subsídio básico de protecção social a 61 mil famílias mais vulneráveis, explicou a responsável da edilidade.

Alice de Abreu não avançou o valor da cesta básica nem se será em espécie ou em dinheiro, de acordo com a Lusa, mas adiantou que as acções de combate à COVID-19 na capital serão descentralizadas para cada um dos distritos municipais, visando tornar mais eficazes os esforços de controlo da pandemia.

“Chegámos à conclusão de que as acções de combate em Maputo estavam mais concentradas na cidade e com pouca visibilidade na periferia e por isso concordámos numa descentralização”, assinalou Alice de Abreu.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *