Nyusi anuncia subsídio a jovens militares que combatem grupos armados

O Presidente Filipe Nyusi, anunciou hoje que o seu executivo vai atribuir um subsídio aos jovens militares que combatem grupos armados na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Vamos reconsiderar o subsídio de empenhamento, que eles muito bem merecem, e temos a consciência de que não será tudo, porque o sacrifício destes jovens não se paga com dinheiro ou com algum recurso”, disse Filipe Nyusi, falando em Mueda, na província de Cabo Delgado, por ocasião do 60.º aniversário do massacre de Mueda, momento marcante da luta anticolonial.

Cabo Delgado, província moçambicana onde avança o maior investimento privado de África para exploração de gás natural, está sob ataque desde outubro de 2017 por insurgentes, classificados desde o início do ano pelas autoridades moçambicanas e internacionais como uma ameaça terrorista, e que já causaram pelo menos 600 mortos e afetaram 200 mil pessoas, obrigadas a refugiar-se em lugares mais seguros.

O chefe de Estado não avançou detalhes nem datas sobre a atribuição do subsídio, declarando apenas que, além dos militares que combatem os grupos armados em Cabo Delgado, a medida deverá abranger também profissionais de saúde que estão atualmente na linha da frente do combate à covid-19 no país, que regista 638 casos e quatro óbitos.

Durante o seu discurso, Filipe Nyusi frisou que o país “nunca se resignará” perante os “ataques terroristas” na região norte, apontando a resistência ao colonialismo como inspiração para a luta contra os desafios atuais.

“Os moçambicanos nunca se resignarão, continuaremos a lutar em defesa dos nossos interesses e continuaremos a lutar contra todo o tipo de divisionismo e de agressão”, disse Filipe Nyusi.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *