Vitória Diogo entrega centro de saúde de referência para isolamento de pacientes com Covid-19

A Província de Maputo conta desde sexta-feira com um centro de saúde de referência para isolamento de pacientes com COVID-19. A infraestrutura foi entregue pela Secretária de Estado, Vitória Diogo e tem capacidade para internar 16 pacientes.

Numa altura em que os casos positivos do novo Coronavírus tendem a aumentar no país, as instituições de saúde desdobram-se na busca de soluções para evitar a propagação e tratamento da doença. Numa cerimónia dirigida pela Secretária de Estado Vitória Diogo, a Província de Maputo apresentou publicamente as instalações do centro de saúde da Matola 1, após requalificação das mesmas para o atendimento de pacientes da COVID-19.

“Estamos perante uma doença de fácil contágio, e por isso também de fácil propagação. Perante este tipo de doença, a prevenção tem-se revelado curativo. Mas também como ouvimos dos nossos parceiros, prevenção significa preparação, por isso estamos a nos preparar para eventuais necessidades de tratamento”, disse Vitória Diogo, Secretária de Estado/Província de Maputo.

Com as novas infraestruturas, a directora de saúde neste ponto do país, garante que já estão criadas todas as condições para atender doentes infectados.

“Inicialmente tínhamos uma previsão de 14 camas, mas conseguimos aumentar mais duas camas. Nós estamos preparados para atender nesta unidade sanitária, temos ventilador montado, equipamento já montado, temos principais medicamentos necessários para atacar cassos sintomáticos do novo coronavírus”, concluiu Iolanda Santos, Directora de Saúde/Maputo Província.

A requalificação da infraestrura contou com apoio de alguns parceiros, que também ofereceram equipamentos de trabalho na ocasião.

Gil Cumaio, em representação da Mozal, disse que a instituição que dirige respondeu pontualmente o convite formulado pelo sector da saúde, “nós fizemos a requalificação da unidade sanitária, todo o valor investido ronda nos 2.4 milhões de meticais”.

Por sua vez, a seguradora pública EMOSE ofereceu 12.500 pares de luvas, 5 mil máscaras e 25 termómetros.

“Esta nossa acção faz parte da nossa responsabilidade social e neste momento não podíamos estar alheios a solicitação da direção de saúde”, referiu Joaquim Langa.

Outra instituição que se juntou a direção de saúde na província de Maputo, foi o parque industrial de Beleluana que ofereceu duas máquinas de lavar industriais.

Nós percebemos que os profissionais de saúde corriam risco pela forma que usavam para lavar as roubas, daí termos oferecidos essas máquinas para evitar com que fiquem infectados ou mesmo reduzir o risco”, finalizou Honório Boane, director-geral da instituição.

Até esta sexta-feira, a Província de Maputo conta actualmente com 657 pessoas em quarentena e mais de 3600 pessoas já tiveram alta.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *